5. É tempo de cuidar: O SAR e as eleições 2020

 

5. É tempo de cuidar: O SAR e as Eleições 2020

O papel do vereador, do prefeito e do vice prefeito em seu município Nossa cultura política clientelista contradiz aquilo que é o exercício da cidadania, enquanto ação concreta de poder que deve ser exercido por cada pessoa, não apenas pelo voto, mas como participação ativa na vida e no destino da sociedade e de um estado, inclusive decidindo e controlando a ação de quem você elegeu, para que o mesmo a faça a partir daqueles e daquelas que o elegeram para um determinado cargo. Por isso é importante que cada cidadão (ã) ao escolher aqueles ou aquelas que nesta eleição serão consagrados (as) pelo seu voto para ser vereador (a), vice prefeito (a) e prefeito (a), o faça com a consciência de que o poder conferido nas eleições a estas determinadas pessoas, emana de si, do seu poder como cidadão e não como um “cliente”, passivo de favores ou objeto de esmolas.

Não! É preciso mudar essa concepção de política para que vejamos os eleitos (as) não como “patrões” poderosos e nós como objeto de favores, mas como aqueles que estão naqueles cargos determinados pelos cidadãos (ãs) para promoverem o bem comum, o direito dos pobres e dos povos, a justiça e a paz. Infelizmente a lógica clientelista que faz do indivíduo um “subalterno” torna muitas vezes os eleitos, tiranos, usurpadores dos direitos e dos bens públicos, relegando, sobretudo os pobres, a um assistencialismo diabólico. Aliás, esse modo de fazer política (com ‘p’ minúsculo mesmo = politicagem) abre caminhos para o “nazifascismo” tão operante no mundo de hoje e, em especial aqui no Brasil, como estamos vivendo nestes últimos tempos. Politica não é ato de “caridade-esmola”. Política é sim ato de “caridade-justiça”. De promoção do direito, da justiça, da equidade entre as pessoas, da vida como um bem maior de todos e de todas, inclusive do meio onde vivemos! Neste sentido, não podemos nos conformar com as distorções dos papeis na política de quem é legislador (no caso agora, vereador) e de quem é gestor (vice prefeito e prefeito). Por exemplo, não é papel do vereador distribuir cesta básica, mas é sim, de criar leis em seu município que favoreça a segurança alimentar e nutricional dos seus concidadãos; Não é seu papel, calçar a rua, mas sim de elaborar projetos de leis que obrigue o gestor municipal a cuidar da cidade, saneá-la, prover a cidade de justiça social para que os cidadãos vivam com dignidade; Não é seu papel comprar uma ambulância, mas de fazer com que a política publica da saúde funcione, “obrigando” o gestor municipal a destinar os recursos dos orçamentos relativos à saúde serem utilizados com lisura e transparência atingindo os fins propostos... É papel do vereador (a) fiscalizar as ações do executivo para que o gestor exerça o seu mandato em favor daquilo que é definido como prioridade pela população e para o qual foi eleito. Se nós, enquanto população tivermos essa consciência e clareza dos papeis de todos (as), quer como cidadãos (ãs), quer como eleitos, com certeza podemos assegurar uma Política (com ‘P’ maiúsculo) sadia, democrática, favorável à vida de todos(as). Só para advertir nossa memória colocamos abaixo algumas das atribuições dos cargos eleitos num município: Papel/missão de um (a) vereador (a): - Propor, discutir e a provar a criação de leis; - Supervisionar e fiscalizar a gestão municipal (prefeito, vice prefeito, secretários...) - Fazer vistorias e inspeções nos órgãos municipais - Convocar a gestão municipal para prestar esclarecimentos sobre seu governo - Apurar fatos distorcidos através das Comissões Parlamentares de inquéritos... Papel/Missão de um (a) prefeito (a): - Representar o município de forma legal - Administrar os impostos recolhidos e outros recursos em favor do bem comum - Cuidar do planejamento urbano e zelar pelos espaços públicos - Atender as demandas das áreas da assistência social, educação, saúde, transporte, cultura e outros... - Reivindicar juntos às esferas privadas e publicas o recebimento de benefícios para o município, além de convênios e outras ações que visem à execução de serviços e à captação e destino dos recursos - Apresentar projetos de lei à Câmara Municipal, promulgar, sancionar ou vetar leis que já tenham passado pela Câmara Municipal - Ouvir a comunidade para atender suas necessidades, inclusive cuidando dos mais vulneráveis e pobres. Papel/Missão de um (a) vice prefeito (a): - Auxiliar o prefeito na gestão analisando e definindo melhorias para o município (Como seria bom que tivéssemos gestões colegiadas em nossos municípios para que os nossos vices prefeitos não ficarem como múmias ou figuras descanteadas!) - Substituir o prefeito em suas ausências e impedimentos Portanto, participe votando – lembrando que político não é profissão – e não somente votando, mas acompanhando os eleitos do seu município, cobrando, sugerindo, exigindo... Exerça seu poder como cidadão. Afinal, um eleito é eleito para exercer em seu nome o seu poder e não para usufruir do seu poder em benefício dele, de sua família ou do seu grupelho. Exerça, pois, com autoridade, a sua missão profética!

Por: DIÁC. FRANCISCO ADILSON DA SILVA 

Linhas de Atuação

Contato

Av. Floriano Peixoto,674 - Tirol Natal/RN - Brasil - 59.020-500

+ 55 84 3615 2800 | 99628-3839

sar@sarrn.org.br